• Dr. Rafael Noronha Cavalcante

Embolização do Mioma Uterino


O mioma uterino é o tumor benigno mais comum do aparelho reprodutivo feminino, acometendo de 70-80% das mulheres aos 50 anos de idade. Alguns dos principais fatores de risco para os miomas uterinos são: nuliparidade, obesidade, hipertensão, menarca precoce, menopausa tardia, história familiar, idade e afrodescendência.


A maioria dos miomas (70% dos casos) são assintomáticos e identificados ao realizar exames de imagem por outras causas. Esses miomas que não causam nenhum sintoma não necessitam de tratamento.


Dentre as pacientes que apresentam sintomas, os principais são:

  • Sangramento uterino aumentado

  • Dor pélvica crônica

  • Sintomas compressivos: constipação e incontinência urinária

  • Infertilidade


Estudos demonstram que em mulheres com miomas, esses sintomas podem levar a alterações emocionais, como angústia, ansiedade e depressão, prejudicando a qualidade de vida da paciente e de sua família.


Dentre os tratamentos disponíveis para os miomas sintomáticos, entre os mais realizados, temos o tratamento medicamentoso, a miomectomia (cirurgia para remoção dos miomas), a histerectomia (cirurgia onde há retirada do útero) e a embolização das artérias uterinas.


A embolização das artérias uterinas é uma opção minimamente invasiva aos procedimentos cirúrgicos convencionais. Hoje em dia mais de 25.000 embolizações de artéria uterina são realizadas anualmente em todo mundo.


A candidata ideal para embolização é a paciente com mioma uterino sintomático e que deseja manter o seu útero ou deseja evitar um procedimento cirúrgico.


Os resultados esperados para a embolização são:

  • Eliminação do sangramento uterino em mais de 90% das mulheres

  • Redução dos sintomas compressivos em cerca de 90%

  • Redução do tamanho dos miomas em 50-60%

  • Redução do tamanho do útero em 40-50%


O procedimento é realizado por meio de cateterismo. Inicialmente o acesso é feito por punção da artéria femoral, na virilha, ou da artéria radial, no punho. O cateter é progredido até as artérias uterinas, que nutrem o útero e os miomas e então é realizada a embolização, que é a injeção de pequenas partículas esféricas visando ocluir os vasos que irrigam os miomas.


As vantagens da embolização do mioma uterino são:

  • Caráter minimamente invasivo, por cateterismo, sem necessidade de uma cirurgia de maior porte

  • Bons resultados no controle dos sintomas

  • Menor tempo de internação

  • Menor tempo de recuperação para retornar às atividades habituais

  • Menor incidência de complicações graves

  • Possibilidade de preservar o útero e manter a fertilidade